Parceria entre o Instituto Mobilidade Verde e a Cooper Glicério vai recuperar livros para Bicicloteca e Bibliotáxi

O programa SOS Livro, visa a recuperação de livros que seriam triturados e vendidos  para Indústria de papel reciclado.

Todos os meses os catadores que trabalham na coleta seletiva de materiais para serem reciclados,  recolhem 1 tonelada de  livros por mês, eles  são  retirados de escritórios, residências. Os livros são triturados e vendidos como papel para serem reciclados pela indústria. A venda de papel triturado é um recurso importante que sustenta centenas de catadores de material reciclado na cidade de São Paulo.  Grande parte dos livros recolhidos  estão em boas condições e poderiam ser utilizados pela população.

O Instituto Mobilidade Verde realizou uma parceria com a Cooper Glicério para que os livros sejam separados e vendidos ao IMV pelo  mesmo preço do papel  triturado cujo destino será o Projeto Bicicloteca e Bibliotáxi.
Os livros serão distribuídos gratuitamente para a população que não tem acesso a leitura.

Para isso ser uma realidade, estamos solicitando a ajuda da população para “Salvarem os Livros”, eles valem mais nas mãos das pessoas do que destruídos.

Bibliotáxi é exemplo prático de como uma boa idéia pode transformar o mundo

Hoje de manhã li o artigo sobre o Bibliotaxi escrita pelo professor de economia e negócios da Universidade de Delawere nos EUA. O Artigo começa com uma pesquisa feita aos usuários de Táxi de Nova York onde 31% dos usuários  consideram as TVs instaladas dentro dos táxis como a pior coisa sobre andar de Táxi em NYC e sugere que a comissão de táxis poderia aprender com o projeto Bibliotaxi de São Paulo.

“Esta é uma experiência de compartilhamento muito interessante, criando uma plataforma de partilha única, que é diferente de quase toda e qualquer outra plataforma disponível hoje na economia em crescimento colaborativo. Não é um livro em que todo  mundo troca em sua comunidade como BookMooch ou um serviço de compartilhamento com grandes vantagens econômicas e ambientais como Zipcar, ou um super-eficiente do mercado de troca on-line baseada na internet como Swap.com. No seu espírito de comunidade e aspirações, o Bibliotaxi é muito mais semelhante ao Freecycle, NeighborGoods e até mesmo  Neighborhood Fruit, que ajuda você a encontrar e compartilhar frutas cultivadas localmente. No entanto, ainda é diferente…”

“Em primeiro lugar, a facilidade de operação sem a exigência de tecnologia complicada, bancos de dados e sem necessitar de usuários do site, ou estar conectato  a aplicativos, tornando-o mais fácil e mais user-friendly, o  Bibliotaxi coloca-se automaticamente em uma categoria diferente, com pessoas da vizinhança tentando apenas compartilhar algo mais a partir do local onde residem, tendo como ponto de partida livros, roupas, ferramentas e o compartilhamento do próprio táxi… De certa forma, é como uma velha e boa  biblioteca pública (antes que você pudesse abordá-las on-line), onde você tinha que vir, pegar seus livros e no retorno da devolução  do livro pudesse encontrar no caminho alguns vizinhos. Afinal de contas, é isso que Bibliotaxi é antes de tudo, certo? Não se trata de reduzir a ineficiência de recursos ou mesmo a redução do impacto ambiental do consumo de livro. Trata-se de incentivar as pessoas a ler e reforçar a sua comunidade…”

O Bibliotáxi é exatamente isso, uma idéia muito simples que  tira as pessoas do mundo virtual para conectar-se com a sua comunidade, com o seu bairro e na possibilidade de criar um mundo mais humano. O Bibliotaxi é apenas um ponto de partida para que a comunidade possa compartilhar outos itens entre si e também o próprio táxi.  Porque todas pessoas utlizam um veículo particular para irem para o mesmo local de trabalho? O Compartilhamento do táxi poderia ser uma bom motivo para conhecer pessoas da comunidade e dividir um táxi e deixar o carro em casa.

Raz comenta ainda  que a maioria das pessoas  tendem a dúvidar de idéias simples ou ingênuas mas que  isso sempre ocorre com as idéias geniais como o Movimento movimento Transition Town ou mesmo o Grameen Bank do  professor Muhammad Yunus. ” Afinal de contas a natureza humana tem uma tendência de ser um pouco cética e até mesmo condescendente, até certo ponto quando nos deparamos com este tipo de iniciativas baseadas em valor. No entanto, muitos exemplos de sucesso mostram que essas idéias podem realmente funcionar bem, especialmente se eles conseguem gerar um valor substancial para os participantes”

Leia matéria no Triplo Pundit ( People, Planet, Profit)